Justiça manda jovem conhecida como ‘Senhora das Armas’ para presídio em JP

0
514

A Justiça manteve a prisão preventiva de Luana Alves da Silva, 19 anos, que ficou conhecida como “senhora das armas”. Ela foi presa novamente, na manhã desta quarta-feira (20), no bairro do Rangel, em João Pessoa.

Leia também: Após ser recebida com fogos ao deixar prisão, “senhora das armas” é presa novamente em João Pessoa

A jovem passou pela audiência de custódia na tarde desta quarta e o  juiz Tércio Chaves de Moura, titular da 2ª Vara Criminal, determinou que ela fosse encaminhada para o Presídio Feminino Julia Maranhão, em João Pessoa. Ela vai responder por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido e de calibre restrito. A mulher deverá responder ainda por associação criminosa.

No termo de audiência, o juiz declarou que os fatos novos levaram o Juízo a colaborar com as investigações policiais, visando uma melhor colheita das provas. “O pedido de liberdade firmado nesta audiência pelo advogado, por enquanto, não tem como prosperar, nada impedindo que, em breve espaço de tempo das investigações, especialmente com a chegada do inquérito, possa se ter melhor esclarecimento”, afirmou o magistrado.

Luana foi presa pela equipe do delegado Wagner Dorta, titular da Roubos e Furtos, em cumprimento a um mandado expedido pela Justiça.

Prisão

Na sexta (15), Luana foi presa em uma operação da Polícia Militar na Rua Bartida, no Rangel, com oito armas de fogo entre elas estava uma metralhadora macaquinha. Na audiência de custódia, que foi realizada no sábado (16), Luana foi liberada e recebida com festa e fogos pela comunidade.

Após a repercussão da comemoração pela libertação da mulher, Wagner Dorta foi designado em caráter especial para investigar o caso e, segundo o delegado, novos indícios apontaram que Luana Alves é envolvida com uma facção e responsável por guardar armas do grupo criminoso.

“Fomos investigar e encontramos muitos elementos que comprovam que Luana é envolvida com a facção. Inclusive, a festa de recepção após ser liberada na custódia foi organizada pelo grupo que ela integra. Representei pela prisão preventiva, que foi decretada e cumprida pela nossa equipe”, explicou o delegado.

Luana Alves não resistiu à prisão e nada de ilícito foi achado dentro da casa dela.

PB HOJE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome