Empresa de ônibus suspende circulação após receber ameaças de depredação na PB

0
219

A empresa de transportes São José, responsável pelo transporte coletivo de cerca de 15 cidades das regiões Agreste e Brejo da Paraíba confirmou a suspensão de todas as rotas nesta quinta-feira (24). A ação foi movida devido a crise de combustíveis e também ameaças recebidas pela gerência da empresa.

Caminhoneiros teriam ligado para o escritório da empresa ameaçando depredar e incendiar os veículos casos eles continuasse circulando. Por conta disso, Lagoa Seca, Lagoa de Roça, Esperança e mais 13 cidades outras das regiões do Agreste e Brejo ficam sem transporte coletivo.

De acordo com as informações do gerente da empresa, José Rildo Pereira, além da falta de combustível, outro motivo que leva a empresa a paralisar é a impossibilidade de circulação devido a insegurança nas estradas por conta dos protestos dos caminhoneiros.

José Rildo afirma que recebeu ligações de caminhoneiros com ameaças de depredações dos ônibus caso tentassem furar os bloqueios. “Recebi ligações de caminhoneiros dizendo que evitassem a BR-104, pois eles não responsabilizam por danos que possam ser causados nos ônibus caso tentem furar os bloqueios”, disse o gerente.

A empresa também enfrenta crise de combustível. José Rildo afirmou que desde segunda (21), a São José não recebe o óleo diesel, e que também não há mais postos para suprir a necessidade.

Ainda sobre a situação das estradas ele confirmou que toda a BR-104 está fechada. “Na linha João Pessoa/Picuí, estávamos fazendo baldeação dos passageiros no entroncamento com a BR-230 para Santa Rita, mas devido as ameaças decidimos parar pela segurança dos passageiros”, afirmou Rildo.

Ele ainda completou: “Acho justo a gente fazer isso, pois em um mês o combustível aumentou R$ 0,42 centavos, está ficando inviável com o atual valor da passagem”, disse.

Blog do Márcio Rangel

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome