Paraibano viaja no tempo e participa das gravações da série Vikings em Dublin

0
5

O que você pensaria se soubesse que um paraibano decidiu conviver com vikings nos dias de hoje? Curioso, talvez. O fato é que um jovem natural de Patos, no Sertão da Paraíba, vem tendo os seus dias divididos entre estudos, trabalho e batalhas nórdicas. Mas, calma, tudo não passa de ficção. É que o comunicólogo Helton Nóbrega está participando das gravações do seriado Vikings.

A obra irlando-canadense, escrita e criada por Michael Hirst para a emissora History, está com a produção para a sexta temporada em andamento. E é dentro desse mergulho no passado fictício de Vikings que Helton aproveita a experiência de realizar um intercâmbio.

“É tudo bem mágico, mas as gravações são extensas e bem cansativas. Chegamos a repetir uma mesma cena 12 vezes”, observa em entrevista pela internet ao JORNAL DA PARAÍBA. Conforme ele, algumas cenas são mais trabalhosas pois, além da grande quantidade de pessoas no set, os atores contracenam com cavalos.

E foi durante as gravações que Helton teve a oportunidade de interagir com o protagonistas do seriado, como o ator dinamarquês Alex Høgh Andersen, que dá vida a Ivar The Boneless, filho de Ragnar, algo inesquecível para ele.

Rotina de gravações

Helton conta que as gravações acontecem em uma vila chamada Ashford, na cidade de Wicklow, localizada a cerca de 1h30 de Dublin. O paraibano explica que um ônibus busca os figurantes no centro da capital e os leva até o Ashford Studios, onde a produção é filmada. “É uma área enorme com grandes estúdios de gravação, bem como áreas externas arrodeadas de lagos, montanhas, ruínas e castelos”, diz o comunicólogo.

Vikings

Chegando no local, os figurantes são direcionados para o café da manha e seguem para colocar o figurino. “Geralmente, saímos de Dublin por volta das 6 horas da manhã”, ressaltou Helton, acrescentando que, depois de vestir o figurino, eles seguem para fazer o cabelo e a maquiagem — só assim estão finalmente prontos para o set. O paraibano menciona que algumas gravações chegam a reunir cerca de 200 pessoas na figuração, fora os protagonistas.

E é em meio a essas centenas de pessoas envolvidas no seriado que Helton consegue perceber um mundo dentro do set. “Conheci pessoas de todos os lugares! Mexicanos, iranianos, checos, holandeses, romenos, poloneses, entre outros”, cita.

Além da atuação, ele também teve a oportunidade de entender como a magia das produções de ficção acontecem desde a parte bruta. “Essa é uma das coisas mais interessantes. Tudo é cenográfico, desde a neve até os animais abatidos que ficam expostos para venda no mercado”, ressalta.

Da Paraíba para Dublin

O paraibano, formado em Comunicação habilitação em Rádio e TV, não foi para Dublin pensando em ser ator. A coincidência cruzou o caminho dele, quando, em praça pública no centro da capital irlandesa, os produtores de Vikings fizeram convites para teste de figuração.

“Eles abriram a figuração há uns quatro meses”, conta Helton. O casting, aberto para toda e qualquer pessoa que desejasse participar, não tinha grandes exigências. “A exigência era deixar o cabelo e a barba crescer”.

Quando viajou para a Irlanda, o objetivo do comunicólogo era conseguir fluência na língua inglesa. Desde de janeiro no país, ele frisa que a ideia era estudar e trabalhar dentro da área de atuação dele, a comunicação. Apesar de não estar na área, Helton diz que conseguiu mais que isso: a experiência de participar de uma produção de TV, que tem engrandecido a vivência fora do Brasil e trazendo memórias que ficarão eternizadas para ele.

Jornal da Paraíba

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome