Polícia prende sete suspeitos de assaltos a banco em João Pessoa

0
20

A Polícia Civil da Paraíba, por meio do trabalho de investigadores da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) de João Pessoa, prendeu, na manhã desta segunda-feira (6), sete pessoas suspeitas de integrar um grupo criminoso responsável por assaltos a instituições bancárias na Capital. O bando planejava roubar a agência da Caixa Econômica do bairro do Geisel, quando foi pego pela Polícia.

Foram presos Diego Luna de Barros, 19 anos; José Bezerra dos Santos Neto, 23 anos; José Alexandre Xavier, 24 anos; Dorivaldo Miguel de Lima, 35 anos; Bruno Henrique da Silva Ribeiro, 27 anos; Eduardo Ramos Pereira da Silva, 19 anos; Gilvan do Nascimento Santos, 20 anos. Uma mulher também foi conduzida para Delegacia, mas depois de ser ouvida foi liberada. Os suspeitos foram apresentados durante uma coletiva de imprensa que aconteceu na Central de Polícia na Capital.

Com os sete conduzidos foram apreendidas cinco armas de fogo, sendo duas espingardas de calibre 12, uma metralhadora 9mm, um revólver 38 e uma pistola 380, além de cocaína e maconha e uma balança de precisão. Os três veículos que seriam utilizados pelo grupo para o assalto frustrado pela Polícia também foi apreendido, juntamente com uma moto, e outros dois carros.

“Estávamos monitorando esse grupo desde fevereiro. Durante as investigações descobrimos que os suspeitos tinham alugado uma casa no Conjunto Colibris no Valentina Figueiredo e desconfiamos que o local fosse um ponto para guardar as armas e para divisão do dinheiro. Montamos a campana na residência e seguimos os passos do grupo, que passou a noite na casa de José Bezerra aguardando a ligação de uma mulher que ia avisar quando o carro forte estava saindo do Banco”, disse o delegado titular do Patrimônio, Walter Brandão.

Depois de roubar os malotes, os suspeitos iam fugir em um veículo roubado que estava estacionado próximo à agência bancária e três ruas depois eles pretendiam trocar de carro, deixar as armas e o dinheiro com uma mulher que ia seguir até a casa alugada no Conjunto Colibris. Lá eles iam dividir o dinheiro e fugir. Para dificultar a ação da polícia, cada um dos suspeitos seguiria em carros separados. Como o plano foi descoberto, eles foram presos.

Os presos confessaram o crime.”Durante os depoimentos eles contaram toda logística da ação,informando as atribuições de cada um, como os responsáveis pelo assalto, os que iam fazer o transporte e os encarregados de fazerem os vigilantes de reféns e roubar as armas destes seguranças. O crime seria realizado durante o expediente bancário, entre as 9h e 12h. Esta quadrilha não está envolvida apenas com assaltos, mas também com o tráfico de entorpecentes”, explicou a delegada Emília Ferraz, responsável pelas investigações.

Dos presos, apenas José Alexandre Xavier já respondeu processo por assalto e tráfico de drogas. Ele também é suspeito de ter participado do assalto a uma agência bancária localizada na Avenida Canal, em Campina Grande. A arma, uma submetralhadora que foi encontrada com ele, teria sido a mesma usada nesta ação criminosa registrada em Campina Grande há cerca de um mês. Todos os suspeitos foram indiciados por associação criminosa para o tráfico, porte de arma de uso restrito, roubo tentado duplamente majorado. O grupo foi encaminhado para o Presídio do Roger.

“Estes criminosos ainda estão sendo investigados por outros crimes semelhantes a este que eles tentaram cometer hoje. Mesmo sabendo que as investigações cabem a Polícia Federal porque a instituição bancária trata-se da caixa Econômica Federal, nós assim mesmo agimos tendo em vista que os criminosos da Polícia Federal muitas vezes são os mesmo procurados pela nossa instituição. A Polícia Civil não encerra as investigações com estas prisões, porque este grupo pode ter ligação com outros”, concluiu o superintendente da Região Metropolitana da Polícia Civil, delegado Marcos Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome