17/05/2017 às 00h23 • atualizado em 17/05/2017 às 09h42
Crime

Irmã de agente de trânsito morto em blitz que foi presa por fraude em concurso vai cumprir prisão domiciliar com uso de tornozeleira

A Justiça decretou, na noite desta terça-feira (15), a prisão preventiva de mais quatro presos na sexta-feira (12), suspeitos de participação na organização criminosa que vem sendo desarticulada através da ‘Operação Gabarito’ da Polícia Civil da Paraíba.  A Daiane Nascimento, irmã do agente de trânsito Diogo Nascimento, morto em blitz da lei seca em João Pessoa,  vai cumprir prisão domiciliar, cuja suspeita cumprirá pena utilizando tornozeleira eletrônica.

A confirmação sobre a conversão das prisões de temporárias para preventivas foi dada pelo delegado Lucas Sá, chefe da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Polícia Civil em João Pessoa.

Nessa segunda-feira (15), as quatro pessoas passaram por audiência de custódia com a Justiça, que pode liberar ou manter os envolvidos presos. Eles foram enviados de volta para a carceragem da Central de Polícia e só nesta terça a Justiça terminou de analisar os últimos documentos anexados para decidir pela conversão das prisões.

Operação Gabarito

A Operação Gabarito investiga a atuação de uma quadrilha que fraudava concursos públicos em várias cidades. Os candidatos interessados na fraude pagavam valores equivalentes a dez vezes o salário que iriam receber no cargo para o qual estavam concorrendo. Com isso, cada candidato recebia o gabarito da prova, passado por meio de ponto eletrônico, no dia da avaliação, além de diplomas e outros títulos que fossem necessários para assumir o cargo.

Portal Correio

Comentários