Grécia afirma que não vai pagar parcela de 1,6 bilhão de euros que deve para o FMI

0
3

A Grécia confirmou nesta terça-feira que não vai pagar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) a parcela de € 1,6 bilhão do atual pacote de resgate que vence às 18h de Washington (19h no Brasil). Com isso, se tornará a primeira nação desenvolvida na História a entrar em dívida com o FMI, passando a fazer parte do grupo de países que inclui Sudão, Somária e Zimbabwe, segundo o jornal britânico “The Guardian”.

Mas o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, deixou aberta a possibilidade de um possível acordo de última hora:

— Esperamos que sim — afirmou, ao ser perguntado sobre o assunto.

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, estaria avaliando uma proposta de resgate de última hora feita pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, representantes dos credores e o governo grego estão em contato, mas não há “movimento real” de acordo. Tsipras pode viajar a Bruxelas ainda hoje para discutir a proposta.

Ao entrar em calote, a Grécia poderia ser forçada a deixar a zona do euro. Varoufakis disse ao jornal “The Telegraph” que a Grécia pode tomar medidas legais para bloquear a sua expulsão da união monetária.

“O governo grego vai fazer uso de todos os nossos direitos legais”, disse Varoufakis. “Estamos sendo assessorados e certamente vamos considerar uma liminar na Corte Europeia de Justiça. Os tratados da UE não prevêem saída do euro e nos recusamos a aceitá-la. Nossa adesão não é negociável”, disse ele ao jornal britânico.

As negociações entre a Grécia e seus credores (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia) foram suspensas no sábado, depois que Tsipras anunciou de maneira surpreendente a convocação de um referendo em 5 de julho sobre as propostas europeias.

No total, o país deve ao FMI US$ 26 bilhões, quase quatro vezes mais que o valor total dos fundos em atraso na história do FMI, de acordo com a instituição.

Na noite desta segunda-feira, milhares de pessoas foram às ruas de Atenas protestar contra as propostas dos credores, que foram acusados de chantagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome