12/06/2015 às 10h44
RESPOSTA

Veneziano chama Ronaldo Filho de ‘lunático’

venezianoO deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) rebateu a fala do prefeito em exercício de Campina Grande, Ronaldo Filho, afirmando que ele é “lunático e não tem domínio de suas emoções”.

Ronaldo havia dito que Veneziano sente dor de cotovelo e a resposta ocorreu na tarde dessa quinta-feira (11).

O deputado afirmou que não poderia ter inveja de uma administração que não consegue ouvir uma simples contestação, vive no mundo da lua e usurpa as obras de outras gestões.

– É uma administração apática, incompetente e inoperante, composta por pessoas que não têm condições de gerir e planejar. Eles estão prestes a terminar um mandato que não tem nada a apresentar, porque quando o vice-prefeito lunático apresenta o Hospital Pedro I, isso não é conquista, nem é obra, é uma grande enganação, pois, o que ele fez foi diminuir os números de atendimento e diminuiu várias especialidades – afirmou o ex-prefeito.

Ele também aponta vários pontos de comparação e falta de resultados.

– Ter dor de cotovelo com um governo que faz farra com dinheiro público com comissionados e não consegue concluir a unidade de pronto atendimento? Que não consegue entregar as cinco creches, para as quais eu deixei o dinheiro em caixa, que não quis tocar adiante o projeto do centro administrativo, que era uma parceria público/privada? Ele preferiu fazer parceria sobre o Cine Capitólio, mas não quis continuar algo que já tínhamos iniciado – ressaltou o parlamentar.

Durante a entrevista, Veneziano, ainda citou a não execução do projeto de Mobilidade Urbana do VLT e a não continuidade do projeto da Feira Central para a qual havia deixado 21 milhões em caixa.

– Esta administração é desprovida de referência, a não ser o monumento do Açude Velho, e mesmo assim não houve sensibilidade de colocar em outro local que não prejudicasse a mobilidade urbana. Ele preferiu gastar R$ 3 milhões com o monumento do que reabrir as cozinhas comunitárias. Campina não vai ter referência entre 2013 e 2016 – disse ele.

Veneziano finalizou sua fala dizendo que se solidarizava com as categorias e parte da população que não estava sendo assistida pela atual gestão e citou servidores da saúde, educação, famílias que não têm mais o Restaurante Popular como auxílio, pessoas que não podem se utilizar da UPA porte 2 e feirantes. (Com ParaíbaOnline)

Comentários

Recomendado para você