Laudo aponta que acidente entre trem e ônibus foi causado por imprudência

0
0

Pelo menos três fatores foram apontados pela Polícia Civil como sendo responsáveis por causar o acidente entre um trem e um ônibus que matou cinco pessoas no dia 29 de fevereiro, na passagem de nível de Santa Rita, na Grande João Pessoa. De acordo com o delegado seccional de Santa Rita, Everaldo Medeiros, a investigação concluiu que houve imprudência do motorista do ônibus em fechar o cruzamento com a via férrea, que o trem estava com a velocidade acima da média permitida e também havia desorganização e falta de segurança na via.

Os detalhes do inquérito e o resultado da perícia foram apresentados durante uma coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (6), na Central de Polícia Civil de João Pessoa.

Os dois maquinistas e o motorista do ônibus foram indiciados por homicídio culposo e lesão corporal, sendo que os maquinistas com base no código penal e o motorista no código de trânsito. “Durante o procedimento investigativo, foram ouvidas 24 pessoas e vários ofícios foram expedidos, além de exames e perícias requisitados. Por meio deste trabalho investigativo e com base no trabalho técnico e pericial, a Polícia Civil conclui por indiciar estas pessoas”, diz.

As imagens das câmeras de segurança de um estabelecimento, que flagraram o acidente, foi o ponto de partida para a investigação de como se deu a colisão. A perícia foi feita pelos peritos oficiais criminais Lúcio Flávio Arruda e Robson Mamedes. No documento, os peritos apontam que o trem estava com mais de 40 km/h no momento do acidente, sendo que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) regulamenta que a velocidade deve ser de 25 km/h em zona urbana e 15 km/h em uma passagem de nível.

De acordo com a perícia, o trem estava acima da velocidade permitida por causa de um problema no velocímetro, que impedia os maquinistas de saber em que velocidade trafegavam. Além do velocímetro inoperante, o trem também estava com os freios desgastados e esses problemas impediram que o veículo parasse a tempo de evitar a colisão.

Segundo o delegado, a responsabilidade do motorista se deve ao fato dele ter fechado o cruzamento e atuado imprudentemente na condução do veículo. “Ele deveria ter observado se no outro lado da via férrea teriam veículos parados. Ele visualizou e ainda assim fechou o cruzamento com imprudência”, disse Everaldo Medeiros.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o inquérito está praticamente concluído e deve ser encaminhado à Justiça na próxima semana. O delegado explica que a polícia optou por não pedir a prisão dos indiciados, uma vez que não houveram motivos para este pedido. Por telefone, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que só vai se pronunciar acerca dos problemas no trem quando tiver acesso ao laudo pericial.

 

G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome