01/06/2015 às 19h42
Fusão falhou

“Não chegamos a um denominador comum”

A falta de um acordo nacional pode ter botado água nos planos dos dirigentes do PTB e do DEM que queriam unir forças em torno de um novo partido. Nas duas cúpulas não se chegou a um consenso sobre a postura que a nova legenda teria, se de situação ou de oposição.

Além disso, a falta de acordo entre as cúpulas dos dois partidos em nível estadual em vários estados também minou os planos. Diretórios estaduais das duas legendas não entravam em consenso e isso dificultou o diálogo entre os partidos, o que os fez pelo menos atrasar os planos da tão cantada fusão.

A Paraíba foi um dos estados onde se sentiu esta dificuldade. Tanto o presidente estadual do DEM, Efraim Morais quanto o presidente estadual do PTB, Wilson Santiago, queriam permanecer no controle da nova legenda. Os dois, junto dos filhos, vinham se reunindo tentando chegar a um acordo, mas não conseguiram estabelecer um ponto pacífico.

Efraim Morais já não acredita mais na fusão. “Não chegamos a um denominador comum”, encerra a história.

Comentários